O GESTOR ABRASIVO

Ewaldo Endler

William Somerset Maugham escreveu “The Three Fat Women of Antibes”, um conto formidável a respeito de três mulheres abastadas e gordas que se reúnem em Antibes, um resort mediterrâneo, onde se propõem a incrível tarefa de emagrecer. Submetidas a um regime de sopa sem sabor, chá sem açúcar e torradas secas, sem manteiga ou geleia, penam motivando-se mutuamente. Eis que se junta a elas uma quarta personagem, magérrima, cujo regime alimentar incluía generosas fatias de tortas doces, com bolas de sorvete, recobertas de creme chantilly e xarope de chocolate. E ela se mantinha magra e apetitosamente sexy!
As observações iniciais bem-humoradas, progressivamente evoluem para comentários mais ácidos e rancorosos das gordas até que culminam num ódio profundo contra a gostosinha.
Qual o desfecho? Leia o conto; é genial!

O gestor abrasivo é a mesma coisa. Apresenta comportamentos que inicialmente são tomados como facetas burlescas, cujo efeito é o mesmo que passar uma lixa número dois sobre a pele; uma pequena raspadinha ardida, mas cuja repetição vai tornando insuportável a convivência, como se às vezes a raspadinha sangrasse. A habitualidade do comportamento gera o rancor e as pessoas evitam trazer para gestor os assuntos que possam originar a “raspadinha com lixa número dois”.

O prejuízo para a organização é evidente. A comunicação não flui espontaneamente, assuntos são postergados, há a perda da naturalidade, pessoas comentam pelas costas as excentricidades do gestor e a empresa sofre com perdas de oportunidade e queda na eficácia.

Muitos gestores bem-sucedidos costumam atribuir a si mesmos as razões dos seus sucessos e às circunstâncias ou aos outros os seus malogros. Além disso, em matéria de comportamento, eles se avaliam pelas suas intenções e não pelas suas ações.

A maioria das pessoas “irritantes” não tem a mais remota noção de que incomodam os outros.

Se porventura alguém tiver a ousadia de mencionar os comportamentos abrasivos, irá defrontar-se com uma reação vigorosa do gestor, que rejeitará o assunto, justificando-o com base nas suas intenções, e apontará falhas ainda mais graves ainda no próprio interlocutor que levantou o assunto.

No seu livro “What Got You Here Won’t Get You There”, Marshall Goldsmith(*) descreve alguns comportamentos inadequados que mais comumente gestores bem-sucedidos apresentam.

Em dezembro de 2014 fizemos uma pesquisa Nacional e identificamos que, em maior ou menor grau, gestores bem sucedidos manifestavam comportamentos que desagradavam as pessoas. Em mais de 60% das empresas pesquisadas havia um ou mais gestores que apresentavam, frequentemente, comportamentos muito abrasivos, a ponto de incomodar fortemente as pessoas ao seu redor. ​

Raramente um gestor reconhece que apresenta qualquer desses comportamentos. As boas notícias são:

1. Se você reconhece possuir algum desses comportamentos, isso significa que você está no caminho de se tornar um melhor líder;
2. Para consertar, simplesmente pare de praticá-los!
3. Se você não enxerga nada de errado é porque você está iludido; solicite que os outros o avaliem anonimamente e você encontrará várias oportunidades para melhorar.

(*) No Brasil, a metodologia desenvolvida por Marshall Goldsmith é oferecida por BEST IN CLASS GROUP. (Crtl+Clique para seguir o link).

Fale conosco: contato@bestinclassgroup.com

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *