A ILUSÃO COSTUMA TRAZER DESILUSÕES

Wladimir R. Palermo

Na semana passada almocei com um velho amigo que decidiu deixar a presidência de uma conhecida empresa.

Em um dado momento da conversa ele me disse que, após comunicar sua decisão de deixar a presidência, se lembrou e refletiu várias vezes a respeito de uma frase que eu costumo repetir, e que dá título a esse artigo.

Concluiu que não é e nunca foi presidente. Concluiu que esteve e não está mais presidente.

Meu amigo e sócio, Simon Franco, recentemente me disse:

“Sempre que inicio um evento com um pequeno grupo de pessoas eu costumo pedir para que cada uma delas me conte quem ela é. O incrível é que todas apenas me contam o que elas fazem. Será que elas acham que são apenas o que elas fazem”?

A consciência a respeito da temporalidade e da transitoriedade é fundamental para evitar desilusões.

Iludem-se todos aqueles que pensam que são o que fazem, sem perceber que na verdade apenas estão fazendo o que fazem, até o dia em que deixarem de estar, por qualquer que seja a razão.

A ilusão costuma trazer desilusões.

Você não é Presidente. Você não é CFO. Você não é Secretária.

Você não é o que você faz.

E no exato momento em que você deixar de fazer o que você faz, você não deixará de continuar sendo quem você é.

Vale a pena refletir a respeito.

wladimir@bestinclassgroup.com

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.