contato@bestinclassgroup.com
+55 11 4118-2202

Artigo

… CONFUSÃO FORMADA?! …

Posted by: Wladimir R. Palermo
Category: Artigos, Uncategorized

“Duas pessoas do primeiro escalão envolvidas. Mais um problema para o Presidente.”

Vamos continuar o artigo de Wladimir. Sim a Confusão, que gosto de definir como Conflito – uma forma mais complexa da Confusão parece ser, e é muito comum dentro das Empresas, mas somente dentro das Empesas?!

Eu diria que o Ser Humano adora um Conflito: parece ser mais fácil que aceitar e ou concertar uma situação. Como se diz na linguagem popular: “é mais fácil falar mal de alguém do que enaltecer alguém”. É a Lei do Mínimo Esforço, onde gera-se uma situação fácil: quando se fala mal a Mente Criativa da Pessoa está livre até para inventar; para falar bem, a Mente Criativa da pessoa tem de se informar sobre o que vai falar à respeito; aqui entra a funcionar a Lei do Máximo Esforço, então a Mente Criativa tem de trabalhar mais, não para Criar e sim para formatar uma informação regida por dados que devem ser conferidos até. Isto exige mais trabalho e até reconhecimento. E este reconhecimento leva as pessoas a mexer com o que Wladimir disse no final de seu Artigo “… nossos valores.”

A utilização das Leis do Mínimo e do Máximo Esforço leva a provocar Mudanças nas situações específicas! Tudo isto ocorre, nos níveis consciente e subconsciente!

Assim, se nos apresenta a seguinte pergunta complexa:

valores
mudançass

conflitos
???

Como mexer com estes aspectos para que fiquem em Harmonia Sustentável e não prejudiquem pessoas, organizações e, a vida em nosso planeta?

Há varias interações – mostradas em gráfico, entre: Valores, Mudanças e Conflitos.

Quando …:

… Se criam Conflitos: pode-se mexer em Valores que podem provocar Mudanças; ou pode-se provocar Mudanças que podem mexer com Valores;
… Se mexe com Valores: podem-se criar Conflitos que podem provocar Mudanças; ou pode-se provocar Mudanças que podem provocar conflitos;
… Se faz Mudanças: pode-se criar Conflitos que podem alterar Valores; ou pode-se mexer com Valores que podem levar a Conflitos.

Para que uma dessas 3 interações aconteça – ou várias juntas, deve existir a ação de pessoa e ou pessoas. Alguém tem que usar algum tipo de Força. Para que essa força entre em ação é necessário usar o Poder tanto verbal, mental ou de execução! Mas o uso do Poder entra em interação, também, com outras duas situações que são Saúde e Prosperidade. Deixo, por enquanto, para vossa análise as possíveis interações entre Poder, Saúde e Prosperidade – segundo gráfico adjunto!

Mas por que o Poder entra em cena? Para ativar as Leis Naturais do Universo tem que se usar o Poder que é emanado da Criação Universal (Lei do Mínimo e Máximo Esforço, por enquanto).

Estudos Científicos realizados por dois economistas israelenses foram apresentados no ano passado na conferência anual da Royal Economic Society, realizada na Universidade de Londres, revelam que o Sentimento de Inveja pode gerar Conflitos, tanto na área profissional quanto pessoal. O uso desse Sentimento mostra um desequilíbrio na Saúde – tanto mental quanto física da pessoa, que a leva a fazer Mal uso de seu Poder gerando Conflitos para a sua Prosperidade e a das pessoas envolvidas!

No segundo Evangelho de João na Bíblia, esta escrita esta frase de Poder: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus”. Aqui o Poder de Deus não é comparado com uma figura, o um efeito da natureza; é comparado com uma frase gramatical!

Isto nos mostra que Poder tem a Palavra! Ela pode transformar o homem e o mundo!

Então, uma Pessoa com Sentimento de Inveja pode Formar uma Confusão e até um grande Conflito, pelo Mal uso da Lei do Mínimo Esforço.

Gerenciar estas situações exige muito autodomínio, o qual se obtém através de conhecimento e autoconhecimento…

Um Bom Líder tem que saber lidar com as interações apresentadas nos 2 gráficos adjuntos.

“Se os Deuses são propícios e o terreno é Biótico, o Homem é Feliz!” Pedma Jimba

Até nosso próximo diálogo…

Rú’bhens Spagnolo
Leadership Conselor

Author: Wladimir R. Palermo

Leave a Reply