PERCEPÇÃO COMPARTILHADA É REALIDADE.

Wladimir Rodney Palermo

Há mais de vinte anos costumamos pesquisar a percepção que os participantes de um dos nossos workshops possuem a respeito deles mesmos, a tal de auto percepção.

Antes de realizarmos esses workshops nós realizamos uma pesquisa informatizada, anônima e confidencial junto às pessoas que convivem com cada participante, pessoas por eles mesmos indicadas.

Entretanto, quando comparamos a auto percepção dos participantes com a percepção que as pessoas por eles indicadas carregam a respeito deles, menos de 20% coincidem, ou seja, mais de 80% das pessoas carregam auto percepção diferente da percepção que as demais pessoas possuem a respeito delas.

Em um outro workshop, que igualmente aplicamos há mais de 20 anos, pesquisamos a percepção compartilhada dos líderes das diversas camadas da empresa a respeito de quanto da estratégia da empresa e da sua missão (sua intenção) chega de fato até os clientes através das pessoas de contato.

A resposta compartilhada indica que chegam no cliente o mínimo de 45% e o máximo de 75% da Intenção da empresa. Um gap enorme que só ser progressivamente reduzido através de mudanças de natureza comportamental por parte dos líderes, de cima para baixo, começando pelo C-Level, até atingir toda a organização.

Não é a estratégia da empresa – sua intenção – que construirá sua cultura. A cultura de uma empresa é construída pelo conjunto de comportamentos das pessoas que nela trabalham e é fortemente influenciada por seus líderes “de cima para baixo”.

Você pode afirmar que não age assim, você pode acreditar que não age assim, você pode não aceitar que as pessoas ao seu redor achem que você age assim. Mas se as pessoas ao seu redor carregarem uma percepção compartilhada de que você age assim, essa é a realidade.

E isso vale para os clientes…

Por isso é árdua e demorada a de missão construir uma Cultura Corporativa capaz de gerar Alta Performance Sustentável como consequência das Atitudes de seus Líderes.

É preciso ter humildade para aceitar que ninguém é perfeito ou completo e que a evolução só é conseguida através da consciência a respeito dos impactos – positivos e negativos – que provocamos nos outros, segundo a percepção dos outros. O que inclui os clientes.

Querer mudar é apenas uma intenção, mas já é um bom começo. Mas é preciso ter disciplina para fazer a mudança acontecer e persistência sempre que ocorrer uma recaída.

 

Wladimir R. Palermo é o autor do programa BEST IN CLASS®- FAR BEYOND PERFORMANCE, destinado a ajudar as empresas na construção de uma Cultura Corporativa que promova a Alta Performance como uma consequência Natural e Sustentável das atitudes de todos os seus Líderes.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.